Juliane Vargas Nunes

SURE: uma proposta de questionário e escala para avaliar a usabilidade de aplicações para smartphones pós-teste de usabilidade

Este artículo fue publicado en la Biblioteca Digital
de la Universidad Católica Argentina » Descargar PDF.

Os smartphones estão se tornando o dispositivo de uso pessoal mais popular e difundido. Com um modelo de interação baseado em gestos, voz, sensores e câmera, o smartphone propõe novos desafios ao design de interfaces.

A melhor forma de garantir a adequação de uma interface às características e necessidades dos usuários é envolvendo-os em seu processo de desenvolvimento. Um dos métodos de avaliação mais valorizado é o teste de usabilidade. Ao final do teste de usabilidade, é comum aplicar-se outro método de avaliação, como o questionário, buscando levantar dados não diretamente observáveis, relacionados aos processos mentais do indivíduo durante a interação.

Atualmente, existem vários questionários padronizados pós-teste de usabilidade como, por exemplo, SUS, QUIS e SUMI, os quais foram submetidos à qualificação psicométrica, incluindo a avaliação de confiabilidade, validade e sensibilidade. No entanto, eles variam muito em relação aos fatores de qualidade medidos (somente satisfação ou também percepção subjetiva de eficácia e eficiência), número de itens e escalas de resposta.

Além disso, os questionários existentes são essencialmente voltados para computadores. Assim, este artigo apresenta o desenvolvimento e a validação de um questionário pós-teste de usabilidade e uma escala para medir a usabilidade de aplicações smartphone percebida pelos usuários.

Com base em fatores de qualidade usabilidade identificados na literatura, no mapeamento realizado a partir de uma revisão sistemática em busca dos questionários pós-teste de usabilidade existentes e levando em consideração características específicas de aplicações móveis, foi desenvolvido um questionário inicial com 37 itens. Em seguida, foi realizado um estudo empírico com a aplicação desse questionário em 304 testes com usuários (presenciais e a distância).

Os resultados desses questionários foram analisados estatisticamente utilizando a Teoria de Resposta do Item (TRI). Com base nessa análise foram feitas alterações no questionário original, concebendo a versão atual chamada de SURE (Smartphone Usability QuestionnaiRE), e criadas uma versão resumida deste e uma escala padronizada que classifica os resultados do questionário em níveis de usabilidade para aplicações smartphone.

Juliane Vargas Nunes

Universidade Federal de Santa Catarina

Doutoranda em Design e Expressão Gráfica pela Universidade Federal de Santa Catarina, Mestre em Design e Expressão Gráfica pelo mesmo programa (2012), Bacharel em Design Gráfico pela Universidade Federal de Pelotas (2006) e Técnica em Programação Visual pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Pelotas (2003). Atualmente bolsista Capes DS, desenvolve sua pesquisa de doutorado voltada para os fatores envolvidos na visualização de conteúdos a partir do smartphone. Também atua em pesquisas sobre usabilidade em aplicativos para dispositivos móveis, junto ao Grupo de Qualidade de Software, na Universidade Federal de Santa Catarina.

Christiane Gresse Von Wangenheim

Universidade Federal de Santa Catarina

É professora da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e coordenadora do Grupo de Qualidade de Software (GQS). Seus interesses de pesquisa são engenharia de usabilidade, ensino de engenharia de software, melhoria de processos de software e gerenciamento de projetos. Anteriormente, trabalhou no Instituto Fraunhofer para Engenharia de Software Experimental e na UNIVALI. Ph.D. em Engenharia de Produção pela UFSC (Brasil) e Ph.D. em Ciência da Computação pela University of Kaiserslautern (Alemanha).

Adriano Ferreti Borgatto

Universidade Federal de Santa Catarina

É professor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Seu interesse de pesquisa é a análise estatística em avaliação educacional, especialmente na Teoria de Resposta ao Item (TRI). Anteriormente, trabalhou na Universidade Estadual de Londrina (UEL). Ph.D. em Estatística Experimental pela ESALQ / USP (Brasil) e Ph.D. em Estatística pela UNESP (Brasil).

Thaisa Cardoso Lacerda

Universidade Federal de Santa Catarina

É estudante do curso de Ciência da Computação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Também é pesquisadora do Grupo de Qualidade de Software no INCoD – Instituto Brasileiro para Convergência Digital na área de IHC e design de interface, especialmente, para dispositivos móveis. É bolsista de Graduação Sanduíche no Exterior.

Rafael José de Oliveira

Universidade Federal de Santa Catarina

É bacharel em Sistemas de Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atualmente faz especialização em Engenharia de Projetos de Software (UNISUL – Florianópolis).

Caroline Krone

Universidade Federal de Santa Catarina

É estudante do curso de Ciência da Computação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Também é pesquisadora do Grupo de Qualidade de Software no INCoD – Instituto Brasileiro para Convergência Digital na área de IHC e design de interface, especialmente, para dispositivos móveis. É bolsista de Iniciação Científica pelo CNPq.

Jessica Xafranski

Universidade Federal de Santa Catarina

É estudante do curso de Ciência da Computação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Também é pesquisadora do Grupo de Qualidade de Software no INCoD – Instituto Brasileiro para Convergência Digital na área de IHC e design de interface, especialmente, para dispositivos móveis.

Mathias Reolon

Universidade Federal de Santa Catarina

É estudante do curso de Ciência da Computação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Também é pesquisador do Grupo de Qualidade de Software no INCoD – Instituto Brasileiro para Convergência Digital na área de IHC e design de interface, especialmente, para dispositivos móveis. É bolsista de Apoio Técnico a pesquisa pelo CNPq.