06

Design Centrado no Cidadão – Um modelo para a gestão de design em governo eletrônico

Este artículo fue publicado en la Biblioteca Digital
de la Universidad Católica Argentina » Descargar PDF.

Este trabalho é parte de um estudo mais amplo que visa a criação de um modelo de gestão de design que auxilie os setores da administração pública brasileira a gerir, de forma mais efetiva, a criação de produtos interativos voltados ao cidadão-usuário. Contudo, o âmbito deste trabalho se restringe em apontar e analisar os problemas relacionados à criação e gestão desses produtos, servindo de base para a elaboração do referido modelo.

O Design de Interação trata não apenas na experiência final do usuário com a interface, mas também, no processo de construção de produtos interativos, desde o levantamento dos requisitos até o lançamento e a promoção da melhoria contínua. E é justamente nesse aspecto – processo – que os setores de governo eletrônico parecem ser mais carentes. Além da forte cultura de T.I, que foca na parte técnica e funcional, deixando de lado os aspectos ligados à experiência do usuário, temos ainda uma política interna rígida e burocrática que impede a abertura para novos conhecimentos.

Os governos britânico e americano despontam como bons exemplos. Este último disponibiliza um excelente portal dedicado à usabilidade no âmbito governamental, chamado “Usability.Gov – Improving the User Experience”. O portal é basicamente dividido em três grandes seções: a) What & Why of Usability; b) How To & Tools e c) Get Involved.

Na realidade brasileira, temos o Programa de Governo Eletrônico Brasileiro (GOV.BR), cuja missão é aprimorar os serviços de informação prestados pelo governo. O GOV.BR disponibiliza, entre outros conteúdos, dois documentos que se destacam: O eMAG – Modelo de Acessibilidade em Governo Eletrônico e o ePWG – Padrões Web em Governo Eletrônico que contempla ainda a Cartilha de Usabilidade.

Todas as recomendações do GOV.BR estão disponíveis gratuitamente e sem qualquer restrição. Entretanto, como revela trabalho, tal iniciativa não foi suficiente para mudar a realidade dos produtos e serviços de informação oferecidos pelo estado.

Alan Vasconcelos Alves

Escola de Design da Universidade do Estado de Minas Gerais (ed/UEMG)

Graduado em Design Gráfico pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) e mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), cuja pesquisa é sobre acessibilidade de informações governamentais.

Atua como Analista de Usabilidade do Synergia – laboratório de engenharia de software do Departamento de Ciência da Computação da UFMG, além de ministrar palestras e workshops sobre Design de Interação, IHC, Acessibilidade-Web e Web-design.

Atualmente, coordena o setor de Design Digital na Quantum Design e ministra uma disciplina de pós-graduação em Design de Interação na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais e de graduação em Design Gráfico na UEMG.